sábado, Agosto 13, 2005

Anorgasmia (Parte I: Não invocarás o Seu nome em vão)

Agora dei em anorgástico. Escusam de deixar já de ler, pensando que este deve ser um blogue muito intelectual e com palavras muito caras. Eu também não sabia: aprendi com o Júlio Machado Vaz. (Ah, agora já vos interessa?...) O que o Júlio não falou, e desconfio que nenhum médico, é que também podia haver anorgasmia masculina. Os homens ficam impotentes, quando muito, as mulheres é que podem sofrer de anorgasmia. Isto julgava eu - e julgavam certamente os especialistas em medicina. Fiz mesmo uma busca no google por “anorgástico” e nada encontrei. Tiveram até o desplante de me perguntar se eu não quereria dizer "energético” (estúpidos, a gozar comigo!). Já em relação a “anorgástica” há múltiplas referências (embora também perguntem, como quem não quer a coisa, se eu não quereria dizer "angústia", vá-se lá saber porquê). Mas tinha de aparecer eu a ser original, nem que fosse para servir de caso de estudo.

Estando eu nesta malfadada meia-idade, seria normal, talvez, que estivesse a ficar impotente, ou, pelo menos, ter tido um episódio desse flagelo que aterroriza qualquer homem (para não falar nas mulheres, claro, que têm sempre de fingir que não se importam). Nada disso! Ele continua a funcionar muito bem! Isto é, se considerarmos “funcionar bem” o facto de ele se levantar… Porque levantar, ele levanta, mas não sei para quê, porque não chega a lado nenhum, muito menos aos “finalmentes”.

Eu explico melhor: a gente chama-o e ele responde. Não o chamamos pelo nome, até porque a maior parte dos nomes por que ele dá são considerados feios e eu não pretendo usá-los neste blogue (a não ser que esteja mesmo chateado, porque, nesses casos, sempre alivia), mas chamamo-lo estimulando-o, ou mostrando-lhe, nem que seja em imaginação, umas imagens, digamos… interessantes. E ele responde, dizia eu, fazendo uso de mímica, porque nunca foi muito falador (nem sei porque há quem lhe chame falo), mas sempre foi muito expressivo (pelo menos o meu, os vossos ignoro e na ignorância pretendo manter-me).

Ergue então ele a cabecita como quem pergunta: "é comigo?" Mas fá-lo de um modo assaz desinteressado, sonolento mesmo, como um empregado sempre solícito, sim, mas à beira da reforma e sem grandes motivações de progressão na carreira e essas coisas. O meu já percebeu que eu não tenciono reformá-lo antes dos 65 anos, porque eu sou pessoa muito atenta e obrigada à legislação e é escusado ele alegar os mais de 20 anos de bons e esforçados serviços em prol de tantas, tão boas e nobres causas! Como empregado diligente e prestimoso que sempre foi, não é de fazer greve de braços caídos ou de faltar às suas obrigações, mas claramente o interesse já não é o de antes. Não falta à chamada, pica o ponto a horas, nunca sai antes do tempo, mas, a bem dizer, não produz nada. Pelo menos orgasmos já não produz. A mim!, porque, mantendo-se ele de pé, não dá azo a queixas da parte das senhoras (do mal o menos).

E pronto, depois deste prolixo intróito, já ficaram a saber no que consiste a tal anorgasmia!

9 Comments:

At 16:14, Anonymous Anónimo said...

Ok.
I've read it. You ARE funny..meaning: easy to read, amusing, not a pompous ass, but not tottaly void...
Thus said, don't get too full of yourself, you're not the best thing since George Clooney. He's probably all that and good-looking too!!!!!!
signed : Viperina

 
At 16:16, Anonymous Anónimo said...

Acho que "tottaly" esta mal escrito.. Toma lá euzinha que é para aprender a não ter a mania que sou inglesa, por parte da avó torta.... Deveria ter dito/escrito "totally""
Buhhhhh

 
At 16:34, Anonymous Anónimo said...

Re: Anorgasmia

Acho que no meu tempo não havia nada disso... Ou será que havia e eu nem dei por nada. Santa inocência! Credo deve ser mesmo velha!
Viperina

 
At 13:28, Anonymous Anónimo said...

Ah!
E quanto à referida "asmia" devo dizer ainda que concordo plenamente com a acrobata....Nunca, mas nunca mesmo se deverá levar a sério as "bulas". É só ver o exemplo da minha mãe. Cada vez que lê literatura dessa , desenvolve logo todos os sintomas que lá vêm referidos e que por coincidência se repetem em quase todas elas.. Das náuseas, aos pruridos, da diarreia e prisão de ventre, vontade de se coçar e de comer mas eventual falta de apetite, suores frios e calor nos pés, disfunção renal e paragem cardíaca, ou outros mais graves, como falta de sono, perda total ou parcial do paladar, salivação extrema e vontade de fazer xixi de 2 em dois minutos seguida de comichões na zona anal...
Isto para além de descobrir que tem orgãos e miudezas que nem suspeitava existirem, tipo bachteria pilorus e coisas do género que NINGUÉM quer saver sequer o que é e onde fica!!!
Assim sendo, por favor, pega nas bulas e deita-as fora.. TODINHAS....JÁ...
Vais ver como te sentes logo tão bem que até pareces estar orgasmico
Jokas da Vip

 
At 13:29, Anonymous Anónimo said...

Desculpa os erros mas estou a fazer isto às escuras na escola................................................................

 
At 02:07, Blogger sandramorena said...

Olá

Não se sinta só, pois existem mais homens com esse problema, mas geralmente se acham um problema , e procuram um médico, o médico vai dar uma gargalhada e te dizer que pior seria se fosse ejaculação precoce. Mas que isso as mulheres gostam ( eu como mulher apesar de gostar, fiquei sempre com um pé atrás, achando que algo está errado comigo, coisa que eu falando com amigas soube acontecer mais do que ambos, homens e mulheres imaginam, tanto o anorgasmo masculino , qto a culpa que sente a mulher por isso acontecer).
Ficamos então assim, urologistas, achando que o homem tem que se dar por feliz, e ginecologistas nos dizem que é para ele procurar um urologista, já que não temos nada de errado.

 
At 18:17, Blogger De said...

Olá

Como se pode ver pelas datas, este blog está mais ou menos (definitivamente) abandonado, portanto, é normal que não tenha havido um epílogo para a história da anorgasmia - na verdade, só dei por haver um comentário, porque recebi notificação por email. Mas enfim, posso dizer agora que esta parte da história (a anorgasmia) teve aquilo que se pode considerar um final feliz. :)
Na verdade, como desconfiava, tudo se devia a um anti-depressivo que me tinha sido receitado na altura. Deixei de tomar e, uma semana depois, estava tudo de volta à normalidade. Afinal, umas depressõezinhas de vez em quando nós já estamos habituados... ;)
Admito, claro, que haja casos mais complicados a requerer urologistas, psicólogos ou outras especialidades, mas outras vezes a solução, como se pode ver, é simples.
Não me parece contudo muito profissional da parte de um urologista limitar-se a depreciar o problema como se nada fosse...

 
At 19:19, Blogger paulo ademar de said...

sofro do problema há 6 anos, será que existe atendimento médico gratuito em alguma clínica ou hospital público? como fazer?

 
At 20:09, Blogger DeBosch said...

Paulo, não sei. Como disse, o meu problema resolveu-se apenas deixando de tomar um medicamento. Terá começado a tomar algum medicamento há 6 anos?
O melhor mesmo será informar-se com quem sabe. Sugiro-lhe, por exemplo, que tente informar-se aqui: http://www.medicosdeportugal.iol.pt/action/2/topic/3/type/1/

 

Enviar um comentário

<< Home

Search Advertising
Search Advertising Counter